Para receber as principais informações do dia pelo WhatsApp entre no grupo do Portal Nosso Dia clicando aqui. Siga o Nosso Dia no InstagramFacebook e Twitter

PUBLICIDADE

A jovem Isabelly Aparecida Ferreira Moro, de 23 anos, atacada com soda cáustica em Jacarezinho, no norte pioneiro do Paraná, ganhou ‘um dia de princesa’ ao participar de uma trend viral na internet proposta por William Bilches, jornalista e criador de conteúdo digital.

Ao ser questionada se preferia dez reais ou um presente surpresa, Isabelly optou pelo prêmio surpresa. Durante o vídeo, o influencer elogia a beleza da moça e conta que a história da paranaense comoveu o país. "Gente, que susto que eu levei, mas estou bem graças a Deus", afirma Isabelly.

Antes de receber o presente, a jovem cruza com os moradores e recebe abraços e palavras de conforto. "Agora, vai começar uma nova etapa da minha vida. Vou voltar a minha rotina e bola para frente. Não dá pra parar. Tudo o que aconteceu foram dias ruins, mas que já passaram", complementa a jovem.

PUBLICIDADE

Na segunda parte do vídeo, o criador de conteúdo mostra que Isabelly recebeu um corte de cabelos, hidratação dos fios e também fez as unhas. Além disso, a jovem ganhou um almoçou e foi presenteada com um vestido.

O atentado

Isabelly Aparecida Ferreira Moro recebeu alta hospitalar no último sábado (8). O atentado aconteceu na tarde de 22 de maio.

Logo após ser ferida com os componentes químicos, Isabelly Moro foi encaminhada para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Centro de Tratamento de Queimados (CTQ).

PUBLICIDADE

Diante da melhora do quadro clínico, a vítima deixou a UTI e foi dispensada do hospital dezessete dias depois do crime. Em 24 de maio, a investigada foi presa pela Polícia Militar e confessou o crime. A investigada é a atual namorada do ex de Isabeli Moro.

Ré é denunciada pelo Ministério Público

A soda cáustica utilizada foi comprada em um mercado e a autora estudou a rotina de Isabelly para cometer o delito. A ré foi denunciada pelo Ministério Público do Paraná por tentativa de homicídio com quatro qualificadoras: 1) Uso de recurso que dificultou a defesa da vítima; 2) Motivo fútil (ciúmes); 3) Emprego de meio cruel; 4) Feminicídio (crime praticado conta mulher por razões da condição do sexo feminino).

Além disso, o Ministério Público requer que seja fixada quantia para reparação dos danos materiais, morais e estéticos sofridos pela vítima. A denunciada está presa preventivamente na Cadeia Pública de Santo Antônio da Platina, também no norte pioneiro do Paraná.

PUBLICIDADE

Autora do crime usava peruca como disfarce

A Polícia Civil divulgou as imagens que mostram que a suspeita usava uma peruca loira para evitar ser reconhecida, clique aqui e assista.

Segundo o Portal da Cidade Jacarezinho, a vítima ingeriu parte do ácido e foi encaminhada por um morador ao pronto socorro municipal.