Para receber as principais informações do dia pelo WhatsApp entre no grupo do Portal Nosso Dia clicando aqui. Siga o Nosso Dia no InstagramFacebook e Twitter

PUBLICIDADE

O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) decidiu por unanimidade transferir para Curitiba o julgamento do ex-policial penal Jorge Guaranho, réu pelo homicídio do Guarda Municipal Marcelo Arruda. As informações são da Catve.com.

O júri aconteceria em Foz do Iguaçu, no entanto, à pedido da defesa do réu o local foi alterado após avaliação da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná. O advogado tentava levar o julgamento para Cascavel mas hoje o TJ anunciou a decisão para a capital. Cabe recurso da decisão.

O julgamento, iniciado em 4 de abril de 2024, em Foz do Iguaçu, foi suspenso após o abandono do plenário pela defesa de Guaranho. Remarcado para maio, o júri popular foi adiado em função do pedido de desaforamento. 

PUBLICIDADE

Com a decisão, o processo será remetido para uma das duas varas do Tribunal do Júri de Curitiba. De acordo com o advogado Daniel Godoy Jr., assistente de acusação, a expectativa é de que o caso finalmente tenha um desfecho após a decisão. 

Remarcado para maio, o júri popular foi adiado em função do pedido de desaforamento. "A demora traz prejuízos para todas as partes, incluindo o próprio réu, que aguarda o julgamento preso. Mas, principalmente, traz sofrimento para a família do Marcelo, que também é vítima desse crime brutal. Ele deixou viúva e quatro filhos, sendo que o mais novo só tinha 45 dias quando o pai foi assassinado. O importante é que o julgamento ocorra em breve e que a justiça seja feita, com a condenação do réu pelo homicídio duplamente qualificado, pelo motivo fútil e o risco às pessoas que estavam na festa no momento do crime", sustenta Godoy.

O crime aconteceu em 9 de julho de 2022, Jorge Guaranho foi até a festa de aniversário de Marcelo Arruda e os dois discutiram. Conhecido militante do PT de Foz do Iguaçu, o guarda municipal celebrava os seus 50 anos em festa decorada com fotos de Lula e símbolos do partido.

Cerca de 10 minutos depois, o policial penal voltou ao local e, armado, disparou contra Marcelo, que revidou usando a arma que portava. Câmeras de segurança registraram parte da ação.

PUBLICIDADE

Para mais informações sobre o Oeste do Paraná acesse a Catve.com clicando aqui.