Para receber as principais informações do dia pelo WhatsApp entre no grupo do Portal Nosso Dia clicando aqui.

PUBLICIDADE

A estudante Karoline Verri Alves, de 17 anos, e o adolescente Luan Augusto, de 16, atingidos durante atentado ao Colégio Estadual Professora Helena Kolody, em Cambé, no Norte do Paraná, na manhã desta segunda-feira (19), eram namorados. A informação foi confirmada pelo Portal g1PR junto com familiares. Karoline morreu e Luan foi socorrido em estado gravíssimo ao hospital com um tiro na cabeça.

Conforme as investigações, um ex-aluno entrou armado no Colégio Estadual Professora Helena Kolody, alegando que solicitaria o seu histórico escolar. O município fica próximo da cidade de Londrina. O ex-aluno já foi detido e encaminhado para a delegacia.

Por meio das redes sociais, o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), considerou a tragédia como crime bárbaro. "A violência do brutal ataque em uma escola estadual em Cambé causa indignação e pesar. O assassino foi preso, será julgado e condenado pelo crime bárbaro que cometeu", publicou.

PUBLICIDADE

Segundo o governador Ratinho Junior, um professor que imobilizou o autor do atentado passou por um treinamento sobre como atuar em situações parecidas como essa. "Estamos aguardando a investigação para ver o que ocorreu. O professor que imobilizou esse ex-aluno passou por um treinamento recentemente, e as forças policiais chegaram em apenas três minutos ao colégio depois do acionamento, o que evitou uma tragédia ainda maior", disse o governador, que decretou luto oficial de três dias no Estado.

Em abril, Ratinho Jr. anunciou o reforço de 5,6 mil policiais para fazerem rondas nas regiões de escolas estaduais para frear os registros de ataques nas instituições de educação.

Por meio das redes sociais, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva também condenou o ataque a tiros no Colégio Estadual Helena Kolody, em Cambé, no Paraná, realizado na manhã desta segunda-feira.

"Mais uma jovem vida tirada pelo ódio e a violência que não podemos mais tolerar dentro das nossas escolas e na sociedade", afirmou ele.

PUBLICIDADE

Durante evento no Rio de Janeiro, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, também se manifestou sobre a tragédia.

"Quando um jovem perde a vida, na verdade, toda a juventude perdeu um pedaço da sua vida. De modo inaceitável, essa modalidade de violência se implantou no Brasil e serve de reflexão quanto aos traços culturais da violência. Vemos sociedades em que a violência é alvo de apologia e as vítimas aí estão. As estatísticas de ataques a escolas nos EUA mostram que esse não é um exemplo para o nosso País", afirmou ele.

"E o que nós vimos hoje em larga medida no Brasil? Exatamente apologia à violência que está hoje na palma da mão da nossa juventude pelos smartphones, tablets e pela proliferação irresponsável de mensagem de violência e ódio na internet derrubando os esforços das famílias", completou Dino.

O Colégio Estadual Professora Helena Kolody possui 41 turmas e quase 800 alunos ativos, segundo dados disponíveis no site da Secretaria da Educação do Paraná. A escola atende turmas de ensino fundamental e médio.

PUBLICIDADE